Saiba quais são as atividades logísticas e os tipos de operadores logísticos

O Operador Logístico tem o papel de executar as principais atividades do ciclo da cadeia de abastecimento como armazenagem, controle de estoque, transporte e distribuição de cargas.

Dessa forma, o operador logístico desempenha uma parte ou todas essas atividades a fim de agregar valor aos produtos da companhia.

Sendo assim, um parceiro logístico é responsável por serviços altamente especializados que possibilitam aos clientes dedicação total ao core business da companhia. Ou seja, a logística permeia atividades que impactam diretamente na lucratividade das empresas. Funções que podem, e muitas vezes devem, ser terceirizadas para aumentar os ganhos na eficiência do negócio.

Então quais atividades o Operador Logístico realiza?

Entre zelar pelo estoque de produtos do cliente, coletar e entregar matéria-prima ou produtos acabados, o Operador Logístico realiza importantes atividades como:

Armazenagem – Processo de recebimento, nacionalização, endereçamento, estocagem e manuseio de mercadorias. A armazenagem é feita em prédios adequadamente preparados para cada tipo de produto. São espaços que seguem padrões de qualidade, homologados e com as respectivas licenças.

Além disso, a armazenagem envolve um conjunto de equipamentos como estruturas porta-paletes, empilhadeiras, equipamentos de movimentação e sistemas tecnológicos, além dos profissionais que trabalham organizando os produtos da maneira mais conveniente dependendo do perfil da carga considerando tamanho e peso, por exemplo.

Controle de Estoque – A gestão do estoque tem por objetivo controlar o fluxo de mercadorias, entradas e saídas, a fim de medir o desempenho comercial, administrativo e financeiro da empresa. É o controle de estoque que vai indicar o giro das mercadorias, as necessidades de reposição de produtos ou as adequações necessárias de acordo com a variação das vendas além de ajudar a maximizar os resultados de negócios.

No entanto, existem diferentes métodos de controle de estoque para gerenciamento da jornada de cada produto. E, a escolha correta da metodologia de gestão do estoque vai impactar diretamente no sucesso da cadeia de suprimentos.

Conheça algumas das metodologias de gestão de estoque:

  • FIFO (First in, first out) ou PEPS (Primeiro a entrar, primeiro a sair) – Como o nome já indica, o produto mais antigo em estoque é o primeiro a sair. Esse método geralmente é utilizado em estoques de produtos com shelf life (vida útil) longo como congelados, não perecíveis, ou itens sem vencimento.

  • LIFO (Last-in, First-out) ou UEPS (Último a entrar, Primeiro a sair) – Método indicado para produtos que não têm vencimento. O objetivo é usar o produto em estoque estático como margem de segurança ou para atender períodos de pico. É ótimo método para planejamento de produção.

  • FEFO (First expire, First out) ou Primeiro que vence, Primeiro que sai – Esse é o método utilizado para produtos com shelf life (vida útil ou prazo de validade) curto. Ou seja, produtos de altíssimo giro como os perecíveis.

Independentemente da metodologia usada no controle do estoque é fundamental ter processos bem desenhados e trabalhar sistemicamente para que se tenha excelente acuracidade durante a realização de inventários periódicos e rotativos.

O uso de um software WMS (warehouse management system), que é o sistema de gerenciamento do armazém, ajuda a integrar a cadeia de suprimentos proporcionando agilidade nas operações logísticas, organização dos processos, controle de entrada e saída de produtos, abastecimento da linha de produção, redução de perdas e de custos operacionais entre outros benefícios.

Por fim, temos também as atividades relativas ao Transporte de mercadorias em diferentes modais (transporte rodoviário de cargas, aéreo, marítimo, ferroviário), que envolve a prestação do serviço, a gestão de parceiros, os treinamentos e capacitações das transportadoras, planejamento, monitoramento e acompanhamentos.

Conheça os seis benefícios da Terceirização Logística
clique aqui e baixe nosso e-book “Vantagens da Terceirização Logística”

Quais são os tipos de operadores logísticos?

Os operadores logísticos podem ser classificados em cinco tipos de acordo com o nível de atuação na cadeia logística. Os níveis são indicados pelo termo PL sigla de Party Logistics, ou seja, partes da logística. Cada nível de provedor logístico, de 1PL até 5PL, agrega mais serviços. Conheça abaixo:

1PL- Fisrt Party Logistics:

Esse primeiro nível é de empresas que autogerenciam a logística. Sendo assim, a própria empresa investe em armazéns e em uma frota de veículos de carga, controla o estoque e realiza a transferência de mercadorias até o consumidor final. Em geral são pequenas empresas que atuam localmente.

2PL – Second Party Logistics:

Nesse nível a empresa contratante está em expansão, precisa delegar algumas atividades logísticas e contrata uma 2PL, que possui armazéns próprios e oferece serviços de distribuição. Esse provedor logístico ajuda a reduzir os custos do fabricante já que não haverá necessidade de investimentos em instalações e gerenciamento.

3PL – Third Party Logistics:

O fornecedor de serviços nesse nível já é considerado um Operador Logístico responsável pelo gerenciamento de toda a cadeia de suprimentos. Por meio da otimização de processos, o 3PL busca a máxima eficiência das operações logísticas. Quando um fornecedor 3PL é contratado, a indústria contratante transfere o controle das mercadorias durante os processos de armazenamento, transporte e distribuição.

4PL – Fourth Party Logistics:

O provedor 4PL atua como uma unidade de negócios para o cliente. Ou seja, realiza integralmente as atividades logísticas além de planejar e projetar a cadeia de suprimentos. A logística de quarta parte inclui funções de consultoria, desenvolvimento de projetos, contato e coordenação de outros provedores.

5PL – Fifth Party Logistics:

O 5PL tem a função de integrar a cadeia de suprimentos por meio de tecnologias como Big Data, IoT (internet das coisas) e IA (inteligência artificial). São fornecedores focados em negociar propostas com as empresas de 1Pl, 2Pl, 3PL e 4PL  e gerar a máxima eficiência com menor custo. Em geral o 5Pl é contratado por empresas de e-commerce.

 

Conheça a Logística On Demand by gat logística – a flexibilização das operações logísticas

 

A GAT Logística é uma 3PL com sete centros de distribuição estrategicamente localizados nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo. A matriz, situada no município de Guarulhos (SP), tem 76 mil metros quadrados, onde estão os armazéns destinados aos setores farmacêutico, FMCG (fast moving consumer goods), químico, petroquímico, inflamáveis e geral, com um total de 45 mil posições pallet e capacidade de movimentação por meio de 108 docas.


Como é a logística em sua empresa? Comente, pergunte e tire suas dúvidas com a GAT Logística.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *